Publicamos um tempo atrás uma matéria sobre Inertização e Purga de Espaços Confinados, que são procedimentos de limpeza, tornando a atmosfera do espaço confinado isenta de gases combustíveis e outras impurezas indesejáveis (Leia aqui). Hoje, como complemento, falaremos sobre a Ventilação Mecânica desses Espaços Confinados e quais as diferenças entre Ventilação Geral – Insuflação; Ventilação Local – Exaustão; e Ventilação Combinada – Insuflação/Exaustão.  Confira!

ventilação mecanica

Conceito

Ventilação Mecânica em Espaços Confinados é o procedimento de movimentar continuamente uma atmosfera limpa para dentro do Espaço Confinado. Seu objetivo principal é reduzir a concentração de substâncias tóxicas e/ou perigosas na atmosfera do espaço confinado, mas também contribuindo para o controle térmico e de odores, garantindo as condições atmosféricas adequadas de trabalho e, principalmente, a segurança dos trabalhadores.  A Ventilação pode ser dividida em 03 categorias:

Ventilação Geral – Insuflação: Consiste em introduzir ar limpo no Espaço, diluindo a atmosfera e restabelecendo a condição do Oxigênio. Tem como objetivo manter os níveis adequados de oxigênio; diluir contaminantes presentes ou gerados em atividades não passíveis de exaustão localizada (corte à chama, goivagem, pintura, etc); prover conforto térmico, calor ou frio (consequência secundária).

Ventilação Local – Exaustão: Consiste em remover a atmosfera diretamente da fonte geradora. Tem como objetivo captar poluentes o mais próximo possível dessa fonte; otimizar a ventilação geral (consequência secundária); e é um procedimento aplicável principalmente em soldagem de arco elétrico.

Ventilação Combinada – Exaustão/Insuflação: Combinação dos 02 procedimentos anteriores, promovendo uma melhor qualidade atmosférica.

05 Dicas Essenciais

  • Para realizar a Ventilação Geral deve-se promover um número determinado de “trocas por hora”, usualmente entre 8 e 15, de acordo com ACGIH – manual de recomendação das boas práticas;
  • Deve-se realizar a seleção do ventilador de acordo com as necessidades de vazão e pressão da aplicação;
  • Em serviços contínuos, recomenda-se efetuar medições de vazão periódicas para controle e registro;
  • Deve-se, de preferência, utilizar exaustão e insuflamento simultâneos para que se estabeleça um fluxo de ar fresco;
  • Ambos os procedimento, exaustão e insuflação, devem ser executados com uso simultâneo de Detectores de Gás Portáteis 

portateis

Cuidados importantes

Curto Circuito

1

2


Solda e Corte

Operações de solda e corte podem produzir fumos metálicos ou gases como Monóxido de Carbono (CO), Ozônio (O3) e Óxidos Nítricos (NOx). Estes contaminantes podem trazer danos ao trabalhador, e podem ser facilmente controlados por uma exaustão local, capturando-os próximo à fonte geradora.


Piorando o Quadro

4

Levando em conta a Densidade do Gás

5


Redigido por Pâmela Cintra – Marketing Enesens.

Para maiores informações siga nossas páginas – LinkedIn / Facebook

Sobre a Enesens

A Enesens é uma empresa especializada em soluções de monitoramento de gases e detecção de vazamentos, destinada à preservação de vidas, processos e ativos. A partir de um amplo conhecimento do setor e das principais tecnologias de detecção, comercializa detectores fixos e portáteis para todos os tipos de necessidades, com profissionais especializados na prestação de serviços como projetos, instalação, comissionamento e manutenção dos detectores, além de projetos customizados de desclassificação de áreas a partir da utilização adequada dos detectores de gases fixos.

Para receber informações mais detalhadas sobre a Enesens entre em contato em 11 4218-3288 ou acesse www.enesens.com.br.

Fontes: Drager e Nederman